Publicação

Dia Mundial do Cancro do Pulmão

0

 

CANCRO DO PULMÃO

Sabia que o cancro do pulmão é dos tipos de cancro mais frequente? Todos os anos são diagnosticados, em Portugal, quatro mil novos casos de cancro do pulmão e mais de dois milhões em todo o mundo, representando 20% das mortes por cancro!

 

O tecido pulmonar é constituído por células pulmonares, que em situações normais, as células crescem e dividem-se em novas células, renovando constantemente o tecido pulmonar. Este processo é chamado de regeneração celular e ocorre quando as células do pulmão normais envelhecem ou são danificadas.

Quando as células pulmonares perdem este tipo de função, sofrendo alterações no seu genoma (ADN), tornam-se células cancerígenas, que não morrem quando envelhecem, e produzem descontroladamente células que não são necessárias, resultando na formação de um cancro. Estas células não respeitam as fronteiras do seu órgão, o pulmão, podendo "invadir" outros tecidos e disseminar outras partes do organismo, chamado o processo de metastização.

O termo correto para o cancro do pulmão, e que identifica a origem do tumor é  carcinoma brônquico.

Tipos de Cancro do Pulmão

O cancro do pulmão divide-se em dois tipos de cancro: o cancro do pulmão de não-pequenas células e o cancro do pulmão de pequenas células.

            Cancro do Pulmão de Pequenas Células

Este tipo de cancro é o tipo menos comum, correspondendo a 15% dos casos, mas em contrapartida este tipo de tumor cresce mais rapidamente e tem uma maior probabilidade de metastizar para outros órgãos. Tem origem nas células dos alvéolos.

            Cancro do Pulmão de Não-Pequenas Células

É o mais comum cancro do pulmão e, geralmente cresce e dissemina mais lentamente, isto é, tem um comportamento menos agressivo que o cancro de pequenas células. Este tipo de cancro apresenta três subtipos, onde a sua designação provém do tipo de células onde o tumor se desenvolve:

·         Cancro pulmonar de grandes células ou carcinomas de grandes células (raro, apenas 3% dos casos);

·         Adenocarcinomas (40% dos casos);

·         Carcinomas pavimentosos, epidermoides ou carcinoma de células escamosas (tem origem nas células das vias respiratórias, representando 20% dos casos).

Sintomas

Deverá consultar um pneumologista se tiver os seguintes sintomas:

·         Dor torácica

·         Pneumonia que não fica curada

·         Tosse constante e que piora com o passar do tempo

·         Falta de ar, asma ou rouquidão

·         Tosse com sangue

·         Inchaço do pescoço e rosto

·         Perda de peso e do apetite e fadiga

Tenha atenção, os sintomas do cancro do pulmão não são exclusivos a esta doença! Se tiver um ou mais sintomas do que foram mencionados, não significa que tem cancro do pulmão!

Fatores de risco e prevenção

Para evitar as complicações que o cancro do pulmão acarreta, o melhor é apostar na prevenção e manter-se afastado dos fatores de risco!

            Tabaco

80% dos casos de cancro do pulmão são de indivíduos expostos ao tabaco, sendo fumadores ou expostos regularmente ao fumo do tabaco. Atenção que quando falamos em tabaco, não falamos apenas em cigarros, mas sim as novas formas de consumos como o cigarro eletrónico e o tabaco aquecido!

O tabaco danifica bastante as células pulmonares devido aos agentes carcinogénicos que este possui. Com o tempo, as células danificadas podem tornar-se cancerígenas. A probabilidade de cancro do pulmão num fumador aumenta devido à idade que o indivíduo começou a fumar (quanto mais cedo maior a probabilidade) e devido ao número de cigarros que fuma ou fumou diariamente.

Um indivíduo exposto ao fumo do tabaco, comumente denominado de fumador passivo, também apresenta uma grande possibilidade de desenvolvimento de cancro do pulmão.

Amianto

É um grupo de minerais que existem como fibras e que são usados em certas indústrias. As partículas quando inaladas se podem alojar nos pulmões, danificando as células pulmonares. Trabalhadores expostos a grandes quantidades de amianto, apresentam um risco 3 a 4 vezes maior que outros indivíduos de contrair cancro do pulmão.

Esta exposição observa-se maioritariamente na indústria de construção de navios, minas e trabalhos de isolamento. Estes trabalhadores devem usar equipamento de proteção e seguir procedimentos de segurança.

Doenças Pulmonares

Pessoas que tenham contraído tuberculose anteriormente, possuem uma maior probabilidade de ter cancro do pulmão. O cancro do pulmão tende a desenvolver-se em zonas do pulmão que apresentem "cicatrizes" de tuberculose.

A prevenção do cancro do pulmão passa principalmente pela adoção de hábitos saudáveis e estar atento aos sintomas da doença. Caso já tenha tido cancro do pulmão ou tenha antecedentes familiares com a mesma doença, deve ter precauções redobradas!

A melhor forma de prevenir o cancro do pulmão é deixar de fumar! Mesmo que fume ou tenha fumado durante anos, nunca é tarde demais para beneficiar dos benefícios de deixar de fumar! Se é fumador habitual, deverá realizar uma consulta periódica com o seu pneumologista.

Diagnóstico

Apenas um médico especialista poderá fazer o diagnóstico do cancro do pulmão, porque para confirmar as presença de células cancerígenas no pulmão, o médico terá que examinar o tecido do pulmão.

O diagnóstico poderá ser feito precocemente, tendo em conta o número de maços fumados, o número de anos que o doente fuma e se existem outros fatores de risco, como doenças pulmonares, antecedentes familiares, exposição ocupacional e antecedentes pessoais.

Para um diagnóstico preciso do cancro do pulmão, os exames utilizados mais frequentemente são os de imagem como a radiografia, a Tomografia Axial Computorizada (TAC) e a fibrobroncoscopia.

Em caso de suspeita através deste exames, terá que ser obtido tecido pulmonar, que pode ser recolhido através:

·         Toracocentese, usando uma agulha, o médico remove uma amostra do fluido que envolve os pulmões, procurando células cancerígenas.

·         Toracotomia, que consistem em abrir o peito para a remoção de tecido. Não é utilizada frequentemente, mas é necessária para o diagnóstico do cancro do pulmão.

Os tecidos e células recolhidos seguem para avaliação pela Anatomia Patológica, que é a única forma de confirmar o diagnóstico da doença.

Tratamento

O tratamento do cancro do pulmão depende de uma série de fatores: tipo de cancro, o estadiamento (disseminação do cancro para outras estruturas), extensão do tumor e tamanho. Podem ser usados diferentes tratamentos para controlar o cancro do pulmão e melhorar a qualidade de vida do utente.

            Cirurgia

A cirurgia depende da localização do tumor, no pulmão. Normalmente o tumor apresenta até 7 cm e poderá apresentar nós Linfonodos.

Quimioterapia e Radioterapia

A quimioterapia é a utilização de fármacos anticancerígenos, para matar as células cancerígenas do organismos. A zona afetada pelo tratamento não é apenas o pulmão, mas também outros tecidos vizinhos. Já a radioterapia envolve a utilização de radiação de elevada energia, para matar as células cancerígenas. Pode ser utilizada antes da cirurgia para diminuir o tamanho do tumor, ou após a cirurgia para destruir células que tenham ficado na área tratada.

Este tratamento é utilizado quando o tumor apresenta um tamanho superior a 7 cm ou já existem dois tumores a serem eliminados.

           

Seguimento

Pacientes que já tiveram cancro do pulmão devem ser seguidos por um oncologista, pneumologista ou ainda um cirurgião caso tenha sido submetido a cirurgia. A recuperação para readquirir a e energia e força "normais" pode variar entre semanas e meses. Exames de imagem, como radiografia e TAC, também deverão ser feitos regularmente.

 

Em caso de suspeita de cancro, devido a sintomas ou meio de diagnóstico, deve dirigir-se ao seu médico de família, ou a um outro médico de Medicina Geral e Familiar ou Internista. O mesmo fará uma primeira avaliação e irá encaminhar o seu caso para a especialidade necessária, neste caso um Pneumologista.

O Hospital Terra Quente conta com excelentes especialistas nestas áreas. Para mais informações contacte o 278 400 400 ou através do nosso website, www.htq.pt.

 

Fontes

Sociedade Portuguesa de Pneumologia

Liga Portuguesa Contra o Cancro